Professora é acusada de fazer sexo com aluno

Uma professora escocesa está sendo investigada por ter feito sexo com aluno de 18 anos. O rapaz afirma que estava bêbado na ocasião.

Tudo teria acontecido durante a comemoração de formatura do ensino médio em 2017. Todos foram a uma casa noturno em Glasgow, e depois da festa, foram para um hotel onde continuariam a comemoração.

Redtube

Versão do aluno

O aluno que acusa a professora, afirma que não ela não teria sido convidada para ir até o o hotel, mas que ela apareceu lá. Afirma ainda que foi para a suíte com a professora onde tomaram vinho e cerveja.

Ele ainda contou que, durante a comemoração, ela teria pedido aos alunos que não a vissem como professora deles naquela noite.

Ocorrência de atividade sexual

Como será que tudo terminou para a professora? Ela acabou sendo investigada pelo ocorrido, mas a conclusão foi que não haviam elementos o suficientes para comprovar a ocorrência de atividade sexual.

O rapaz que a está acusando não teve seu nome revelado por questões de proteção. Ele exigiu a abertura do caso,

O que aconteceu com a professora

A professora se mudou para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Lá, ela trabalha como professora de ioga.

Ela não tem participado das audiências do caso.

Quando manter relações sexuais com pessoa alcoolizada é crime

No Brasil, a prática de relações sexuais com pessoa alcoolizada pode ser considerada crime desde 2009, segundo o artigo 217-A do Código Penal.

Neste artigo diz que ter “relações sexuais” com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência” é considerado abuso de vulnerável.

Artigo 213 do código penal

Segundo o Artigo 213 do Código Penal, é considerado abuso de vulnerável ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos.

E não precisa ser contra a vontade da vítima. Também se encaixam no artigo: “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.

Compartilhe:

Deixe seu comentário